Fotografo: Reprodução
...
Divulgacao

Para o secretário de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social da Bahia, Carlos Martins (PT), a guerra de combate às drogas fracassou e o mundo será forçado a legalizar as substâncias psicoativas, começando pela legalização da maconha. “Temos que ter uma ampla campanha na sociedade que trate sobre utilização das drogas e precisamos falar sobre redução de danos, não mais sobre a criminalização”, falou. 
 
 
 
A pasta que Martins comanda, a Secretaria De Justiça, Direitos Humanos E Desenvolvimento Social (SJDHDS), trabalha com o acolhimento e desenvolvimento de dependentes químicos como alternativa para o confinamento dessas pessoas. “Procuramos entender o que leva uma pessoa a morar na rua e usar drogas. Temos um complexo com equipes multidisciplinares para oferecer acolhimento e oportunidades profissionais as pessoas”, defendeu. 
 
 
 
No debate, o secretário ainda avaliou a Fundação Doutor Jesus do deputado Sargento Isidório, instituição que oferece tratamento para dependentes e conta com financiamento do estado. “No início, a Doutor Jesus tinha um trabalho muito questionado até pelas atitudes excêntricas de Isidório, mas, ao longo do tempo, a fundação foi forçada a adotar vários procedimentos e mudanças de gestão e acompanhamento. Atualmente digo que a fundação é um caso de sucesso para ser acompanhado”, ponderou.
 
 
 
A secretaria em 2020 quer ampliar o processo de acolhimento com o Corra para o Abraço juventude, que atuará com jovens dependentes químicos em áreas de vulnerabilidade na capital baiana .