Fotografo: Reprodução
...
Divulgacao

Na manhã dessa terça-feira,12, foi discutida na Câmara Municipal de Vitória da Conquista, o Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano – PDDU para o município. Na oportunidade, técnicos da empresa de consultoria contratada pela Prefeitura, apresentou todas as propostas de mudança no trânsito de vitória da Conquista com o objetivo de melhorar a mobilidade urbana da cidade.
 
O secretário de administração do Município, José Antônio abriu a audiência lembrando que o Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano – PDDU é uma importante ação da Prefeitura: “É algo pensado para toda a cidade”. Ressaltou que o Plano foi construído por pessoas competentes, buscando sempre a melhoria para a cidade. Citou a participação do urbanista Jaime Lerner na construção do projeto e agradeceu a presença de todos pela presença na discussão.
 
A representante da Fundação Escola Politécnica da Universidade Federal da Bahia, Liana Viveiros destacou a importância do PDDU como instrumento de ordenação do uso da cidade.
 
“O Plano Diretor é um instrumento de pactuação, que aborda várias dimensões da vida urbana, da própria gestão do território: questões relacionadas ao meio ambiente, ao desenvolvimento econômico, à mobilidade, ao saneamento, enfim. É um instrumento que tem essa característica de abranger questões que afetam nosso cotidiano na cidade”, apontou Viveiros.
 
O vereador Valdemir Dias (PT) afirmou que a Câmara criou uma comissão para acompanhar o PPDU e o plano aeroviário que vem acompanhando os debates desde o início. Ele destacou a importância da participação da sociedade nas reuniões. “É de fundamental importância para a construção desse plano”, detalhou.
 
O Arquiteto e Urbanista, Eloy Kokani, representando a consultoria contratada pela Prefeitura para ajudar na construção do PDDU explicou o trabalho realizado pela consultoria para melhorar a infra estrutura e mobilidade urbana de Vitória da Conquista. Apresentou o levantamento feito, a analise e o diagnostico da cidade. Dentre os pontos levantamentos na pesquisa, Eloy citou a sinalização, acessibilidade, rede cicloviária, entre outras. “Todo esse levantamento foi feito junto com a secretaria que conhece o comportamento da população”, explicou, dizendo que em um segundo momento “que foram apresentadas propostas, baseado no plano diretor já existente e na legislação de trânsito”. Segundo ele, a cidade deve estar preparada para as mudanças, com vias alternativas e que com todas as propostas apresentadas, a prefeitura escolhe as que mais lhe convêm e por condições financeiras prioridades. Deu vários exemplos de mudanças em diversos pontos da cidade.
 
Outro ponto tratado por pelo arquiteto foi sobre o estacionamento em vias públicas, e os caminhões de carga e descarga no centro da cidade. “A prioridade na mobilidade é sempre do pedestre. Rampas de acessibilidade, calçadas apropriadas, devem ser sempre prioridade no Plano Diretor Urbano”.
 
Dentre os vereadores que participaram da audiência estavam Luis Carlos Dudé (PTB), Coriolano Moraes (PT), Valdemir Dias (PT), Nildma Ribeiro (PCdoB) , Danilo Kiribamba (PCdoB) e Edivaldo Ferreira dias (MDB). Todos ressaltaram a importância da discussão do Plano e cobraram a  maior participação da população nas discussões da casa.