Fotografo: Reprodução
...
Herzem em discurso e fala sempre que Deus esta a frente da sua gestão.

 
O transporte público de Vitória da Conquista está entrando em colapso, e as medidas e pronunciamentos do prefeito Herzem Gusmão (MDB), ao invés de solucionar, agrava os problemas. Estava prevista para a noite desta sexta-feira (12) a continuação da rodada de negociações entre a Câmara Municipal e Cidade Verde, na tentativa de reverter decisão sobre a retirada de 5 linhas de ônibus. O BConquista esteve na Casa legislativa e recebeu a informação do cancelamento da reunião. O presidente da Câmara, Luciano Gomes (PP) contou que não houve acordo com a empresa. O principal motivo da decisão da Cidade Verde foi a divulgação de uma nota do prefeito.
 
Cabo de guerra – Após o anúncio da Cidade Verde sobre a suspensão das linhas de ônibus dos bairros Lagoas da Flores, Santa Marta, Pradoso e Senhorinha Cairo, a CMVC não mediu esforçou para tentar reverter a decisão. Durante todo o dia, os vereadores realizaram reunião com os diretores da empresa. No entanto, a gota d’água foi a nota do prefeito no Blog Resenha Geral determinando o rompimento do contrato emergencial com a Cidade Verde. A empresa certamente avaliou o posicionamento de Herzem como afronta.
 
Não há contrato emergencial – Após a falência e saída da Viação Vitória, em agosto de 2018, a Cidade Verde assumiu de forma emergencial o lote 1. Como a prefeitura não realizou, até o momento, uma nova licitação, o lote continua sendo operado pela Cidade Verde. O acordo entre prefeitura e empresa foi realizado informalmente, não há contratos que obriguem a Viação a continuar prestando os serviços. Sendo assim, a gestão municipal não tem possibilidade de tomar medidas judiciais em relação a retirada de qualquer linha de ônibus referente ao lote citado.
 
Prefeitura não cumpriu o acordo – Mesmo sem contrato, a Cidade Verde assumiu o lote emergencial sob o acordo, firmado pelo prefeito Herzem, que a celeuma da regulamentação das vans aconteceria. A atuação clandestina das vans foi um dos principais motivos da falência da Viação Vitória, e vem trazendo grandes prejuízos a empresa que continua na cidade. Não houve regulamentação, nem fiscalização e cerca de 600 veículos operam atualmente no município, disputando passageiros com os ônibus.
 
Não há outra solução. Para evitar o colapso do transporte público em Conquista é preciso fiscalizar a atuação das vans. E a responsabilidade para que isso aconteça é inteiramente do prefeito Herzem Gusmão.