Fotografo: Divulgação
...
Sem Legenda

O corpo do apresentador Gugu Liberato chegou ao aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), na manhã desta quinta-feira (28). O avião da Azul pousou às 6h01. 
 
O traslado seguirá para o velório no Salão Monumental da Assembleia Legislativa de São Paulo, no Ibirapuera, na Zona Sul da capital. Segundo informações da concessionária Aeroportos Brasil, que administra Viracopos, informou que os familiares de Gugu vão passar pela imigração normalmente e serão direcionados a uma área reservada para aguardar a liberação da urna com o corpo do apresentador.
 
A mãe, esposa e os três filhos do apresentador vieram na mesma aeronave, que partiu de de Orlando (EUA), na noite de quarta-feira (27). 
 
A Receita Federal preparou uma operação para o recebimento do corpo e liberação para o translado até a capital paulista. “O despacho de importação de uma urna funerária é realizado em caráter prioritário e mediante rito sumário, logo após a sua descarga, com base no respectivo conhecimento de carga ou documento de efeito equivalente, conforme o caso”, explicou o delegado da Receita Camilo Pinheiro Cremonez.
 
O corpo seguirá em um carro funerário acompanhado por por três viaturas da Polícia Militar Rodoviária, sem paradas programadas, com trajeto pela Rodovia dos Bandeirantes, até a Assembleia Legislativa. O sepultamento acontecerá no Cemitério do Morumbi.
 
Morte e doação
Os órgãos de Gugu foram doados, numa iniciativa que pode beneficiar até 50 pacientes. De acordo com a assessoria de imprensa, esse era um desejo dele. A estimativa de beneficiários foi dada por médicos do Orlando Health Medical Center à família, que já autorizou a doação. 
 
Além dos órgãos, será possível utilizar córnea, pele, ossos etc. Os Estados Unidos têm um sistema bem mais avançado de doação de órgãos e já conseguem utilizar muitas partes do corpo que, no Brasil, ainda não são usadas para transplante.
 
Gugu teve uma queda acidental quando fazia um reparo no ar condicionado instalado no sótão de sua casa, em Orlando. Ele caiu de uma altura de quatro metros, e foi prontamente socorrido por uma equipe de resgate, que o encaminhou ao Orlando Health Medical Center.
 
"[Lá] permaneceu na Unidade de Terapia Intensiva, acompanhado pela equipe médica local. Na admissão, deu entrada em escala de Glasgow 3 [usada para medir a consciência e a evolução das lesões cerebrais], e os exames iniciais constataram sangramento intracraniano. Em virtude da gravidade neurológica, não foi indicado qualquer procedimento cirúrgico. Durante o período de observação, foi constatada a ausência de atividade cerebral", afirmou nota oficial divulgada por sua assessoria.
 
Segundo o comunicado, a morte encefálica foi confirmada pelo prof. dr. Guilherme Lepski, neurocirurgião brasileiro chamado pela família, que, após ver as imagens dos exames em detalhes, confirmou a irreversibilidade do quadro clínico. O diagnóstico foi feito diante de sua mãe, Maria do Céu, de 90 anos, dos irmãos Amandio Augusto e Aparecida Liberato, e da mãe de seus filhos, Rose Miriam Di Matteo.