Fotografo: Vagner Souza/ BNews
...
Sem Legenda

O promotor de Justiça, Davi Gallo, defendeu os policiais e criticou a sociedade que trata os bandidos como "vítimas da sociedade". Durante entrevista na manhã desta terça-feira (24), na Rádio Metrópole, o promotor afirmou ao apresentador José Eduardo, que nunca viu Comissão de Direitos Humanos da OAB ou da AL-BA em enterro de policiais.
 
"Há 15 anos no Tribunal do Júri eu vejo policiais morrerem todos os dias, você vai para o enterro de um policial desse e não vê uma autoridade, mas quando você vê um delinquente, um assassino, um bandido, você vai ver a Comissão dos Direitos Humanos, da OAB, Comissão dos Direitos Humanos da Assembleia Legislativa, fica aqui uma sugestão minha para que a ALBA, os nossos deputados criassem uma comissão também para assistir as vítimas e parentes de policiais que morrem", afirmou o promotor. 
 
Gallo explicou que enquanto os bandidos são defendidos, os 'defensores da sociedade' são esquecidos. "Tem policiais que moram na comunidade que recebem prazo para sair da comunidade por bandido aqui em Salvador. Por que nós sabemos que o salário do policial é defasado, triste, não tem acompanhamento do estado, de reciclagem, psicológico. Esse policial sai, vai morar de aluguel e vai fazer bicos. É errado, é, mas vai fazer o que?", questiona.
 
"Temos que acabar nesse país com essa ideia de que bandido é coitadinho. 'Ah, porque ele é vítima da sociedade e não teve chance de sobreviver'. Mas, vivemos em país onde 80% da população é humilde e a maioria esmagadora dessa população não rouba, não mata nem trafica. Tem que acabar com essa mania desse coitadismo e tem que olhar para a polícia de maneira mais séria, com remuneração e acompanhamento psicológico", pontuou Gallo.