Fotografo: Reprodução
...
Sem Legenda

O Vereador David Salomão (PRTB) denunciou na tribuna da câmara municipal de Vitória da Conquista vendas de sentenças no tribunal de justiça da Bahia, e delatou nominalmente o presidente do tribunal Josivaldo Brito. Segundo David Salomão o magistrado, é um velho conhecido do meio jurídico como vendedor de sentenças no estado da Bahia, no vídeo(assista), ele diz que se a polícia federal não chegasse nos denunciados .Deus daria  um jeito nesta arbitrariedade, Profetizou  o vereador, hoje, a Policia Federal deflagrou uma operação  para averiguar justamente esta denúncia, envolvendo vários membros  do Tribunal de Justiça. O vereador Denunciou também roubos de verbas nos gabinetes da câmara de vereadores e citou apontando o dedo na sessão da última quarta-feira (06) para o presidente do legislativo Conquistense Luciano Gomes.

O ministério público deverá se Pronunciar através da promotora diretora Carla e do promotor  responsável da Área de improbidade administrativa, ontem a comissão anticorrupção da OAB Batizada de: Compliance; de combate a Corrupção, a presidente Lycia Torres em entrevista ao jornalista Tico Oliveira se comprometeu em informar ao ministério público e a polícia federal e disse, que, a Compliance vai se empenhar a partir de hoje a respeito da denúncia feita pelo vereador David Salomão e publicada pelo Jornal Impacto.

Ação da PF hoje em Salvador.

A ação, que foi batizada de “Operação Faroeste”, tem participação de mais de 200 policiais federais. Ao menos 4 mandados de prisão e 40 mandados de busca e apreensão devem ser cumpridos em Salvador, Barreiras, Formosa do Rio Preto e Santa Rita de Cássia, que ficam na Bahia, além de Brasília.  Também há ordem de afastamento de quatro desembargadores e dois juízes.

 Os nomes deles não foram divulgados. Os mandados foram expedidos pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) e de acordo com a PF, têm por objetivo localizar e apreender provas complementares dos crimes praticados. O G1 solicitou posicionamento ao TJ-BA sobre a operação, mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem.