Fotografo: Reprodução/Youtube
...
Sem Legenda

O deputado Coronel Tadeu (PSL) atacou uma exposição na Câmara dos Deputados sobre o Mês da Consciência Negra. Nesta terça-feira (19), ele afirmou a exposição contribui para a "divisão racial do povo brasileiro".
 
O político do PSL arrancou um cartaz da parede que falava em genocídio da população negra e trazia uma ilustração de um policial se afastando com uma arma após atirar e matar um homem negro algemado, com a camisa com bandeira do Brasil. 
 
"O que isso quer dizer? Que a polícia só mata preto?", ele tira então o cartaz da parede. "Isso aqui não vai ficar na parede. Isso aqui é contra a polícia (...) Eu vou queimar o cartaz". 
 
O ataque foi criticado na Câmara. Deputados negros classificarma o ato de racista. Por outro lado, parlamentares da bancada da bala afirmaram que a placa é antipolícia. Políticos de oposiçaõ prometeram representar criminalmente contra Tadeu na Procuradoria-Geral da República, além de denunciá-lo ao Conselho de Ética da Câmara.
 
Carlos Latuff, responsável pela ilustração, afirmou que o gesto é uma censura à denúncia contra a violência policial. "Quando esse policial promove essa agressão, está confirmando a mensagem da charge. Não so a violência policial, como a tentativa de censura de denúncia contra a violência policial. A truculênia da polícia brasileira é, sim, o grande agente do genocídio da população negra e pobre no Brasil", disse à Época.
 
Veja o vídeo do Coronel Tadeu, postado pelo colunista Gullherme Amado, da Época: