Fotografo: Divulgação
...
Sem Legenda

Na tarde desta quarta-feira (18), o governador Rui Costa publicou um decreto suspendendo a visita em presídios baianos. O objetivo é prevenir o contágio da população carcerária, uma vez que dentro dos presídios os detentos já estão em contato direto uns com os outros o tempo todo.
 
Em Jequié, os detentos beneficiados com a saída temporária foram colocados em prisão domiciliar.
 
Em Vitória da Conquista, o Presídio Nilton Gonçalves tem mais de 300 detentos, dos quais 70 realizam atividades, como trabalhar ou estudar, durante o dia e retornam para o presídio na parte da noite. Nesta tarde o Blog do Sena entrevistou o diretor do presídio, Alex Bombeiro, que falou sobre a possibilidade de colocar esses detentos em prisão domiciliar.
 
“As medidas que tomamos até o momento são administrativas. O próximo passo é tomar medidas jurídicas, que só um juiz pode tomar. O que a gente espera que aconteça é que idosos, detentos que possuem doenças crônicas sejam selecionados e beneficiados com a prisão domiciliar, ou seja, fiquem afastados do sistema prisional. No mesmo sentido, é verificar esses que trabalham e estudam, que passam o dia fora da unidade e só vêm aqui à noite, até porque esse é um grupo de risco, imagine que eles circulam pela cidade e depois retornam podendo contaminar os demais detentos. Então, nossa intenção é tentar junto ao juiz a prisão domiciliar desse público”, explicou o diretor.
 
O diretor disse ainda que, adotadas essas primeiras medidas, a depender de quantos presos restem, posse se pensar em adotar outra medida extraordinária, que seria colocar os presos que têm direito à saída temporária em prisão domiciliar por 90 dias. Se todas essas medidas forem adotadas, cerca de 180 presos devem ficar afastados do sistema penitenciário nesse período de surto do Coronavírus.