Fotografo: Divulgação
...
Sem Legenda

Em 5 de novembro de 1924, o então presidente da República Arthur Bernardes (1875-1955) sancionou o Decreto 4.867. "Artigo único. Fica instituído o dia 12 de outubro para ter lugar, em todo o território nacional, a festa da criança, revogadas as disposições em contrário", diz o texto.
 
E, assim, foi criado o Dia das Crianças.
 
Mas a data custou a pegar. Não havia feriado e o comércio não atentava para ela.
 
Em 5 de novembro de 1924, o então presidente da República Arthur Bernardes (1875-1955) sancionou o Decreto 4.867. "Artigo único. Fica instituído o dia 12 de outubro para ter lugar, em todo o território nacional, a festa da criança, revogadas as disposições em contrário", diz o texto.
 
E, assim, foi criado o Dia das Crianças.
 
Sua mãe disse aos que estavam servindo: ‘Fazei o que ele vos disser!’” (João 2,5).
 
Com muita alegria no coração, celebramos o dia de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, a Mãe de Deus, Senhora nossa, Padroeira da nossa amada pátria brasileira, Mãe de todos os brasileiros.
Maria é aquela presença constante na vida e na história dos discípulos de Jesus, a primeira discípula de Jesus, a filha amada do Pai, aquela que é a esposa do Espírito Santo. Ela é Mãe da Igreja, é uma Mãe presente, afetiva, efetiva, é uma Mãe que consola. Foi Deus quem nos deu Maria como Mãe, foi Ele quem disse, na boca de Jesus, a João: “Eis aí a tua mãe” (cf. João 19,27).
Maria tem sido sempre Mãe, presente e jamais ausente. Em tempos tão difíceis, como era a época em que ela foi encontrada por aqueles pescadores, ela veio numa pequena imagem dividida e quebrada, onde, primeiro, encontraram o corpo e depois a cabeça. Na verdade, os pescadores encontraram a fé, a esperança, a confiança, a esperança materna e consoladora de Maria. Aquela pequena imagem foi guardada e se tornou, na história do país mais católico do mundo, o maior símbolo de fé na presença de Deus, fé num Deus que age por meio daquilo que é desprezível.
 
Aquela pequena imagem se tornou, na história do país mais católico do mundo, o maior símbolo de fé na presença de Deus
 
O bonito dessa imagem é o fato de que ela foi quebrada por alguma ocasião. Sabemos que, desde os antigos, quando uma imagem era quebrada e não tinha mais como a arrumar, ela era enterrada e, até de forma errada, jogada nos rios. E foi jogando no rio que os pescadores a encontraram como um sinal de fé, como um sinal da presença amorosa de Deus.
Essa imagem permanece, há 300 anos, como o sinal maior da presença de Deus por meio de Sua Mãe no meio da história desse povo de fé que somos nós brasileiros.
Coloquemo-nos aos pés de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, invoquemos a sua proteção e, acima de tudo, escutemos aquilo que ela disse no Evangelho: “Fazei o que ele vos disser”.
Ela vem nos ensinar a fazer a vontade de Jesus, porque o segredo de Maria é fazer a vontade d'Ele, escutá-Lo, escutar o momento, escutar a Palavra. Se fizermos o que ela fez, seremos felizes por praticar e vivenciar na vida a Palavra do Senhor.
Maria, olhe para as nossas aflições e dores, olhe, sobretudo, para o sofrimento do povo brasileiro, olhe para os nossos doentes e enfermos, olhe para aqueles que estão perdidos e sem esperança, olhe para os nossos jovens perdidos no mundo das drogas, olhe para aqueles que estão oprimidos, deprimidos na alma e no espírito. Tu és para nós referencial de fé, luz que nos aponta Jesus, o nosso Salvador.
Nossa Senhora da Conceição Aparecida, rogai por nós!
Deus abençoe você!
 
Padre Roger Araújo