Fotografo: Betto Jr/CORREIO
...
Betto Jr/CORREIO

Um incêndio atingiu um prédio em construção na Avenida Juracy Magalhães na manhã desta segunda-feira (20). As chamas começaram no almoxarifado do local, onde estavam estocados os equipamentos de ar condicionado que seriam instalados no prédio onde funcionará uma clínica médica particular. O Corpo de Bombeiros foi acionado para combater as chamas. Não houve vítimas. 
 
De acordo com Felipe Barbosa, proprietário da empresa Barbosa Tinel Engenharia, responsável pela obra no local, os funcionários chegaram para trabalhar por volta das 7h30 da manhã e avistaram sinais de fumaça vindo da parte interna do local. Rapidamente, acionaram o Corpo de Bombeiros.  Cerca de 7 mil litros de água foram usados no combate às chamas nesta manhã.
 
"Estávamos todos chegando para iniciar a jornada de trabalho quando um dos funcionários sentiu o cheiro de fumaça e chamou um dos engenheiros da obra, que acionou os bombeiros. O local servia para guardar acondicionados, que são equipamentos de alto custo e ficavam esticados numa sala trancada. Acreditamos que possa ter sido alguma pane elétrica, mas vamos aguardar o laudo dos bombeiros, mas descartamos qualquer possibilidade de incêndio criminoso, pois não ha nenhuma motivação para isso", afirmou. 
 
 
Obra estava em fase final e já tinha prazo estipulado para a entrega, no final do mês de fevereiro. A retomada da obra, segundo o proprietário da empresa responsável, vai depender do resultado do laudo dos bombeiros.
 
Segundo o tenente coronel BM Ramon Diego, as chamas foram debeladas por volta das 11h. No entanto, as equipes ainda encontram dificuldades em acessar o local por conta da alta temperatura interna. Dentro do depsito, havia cerca de 40 aparelhos de acondicionado além de outros materiais inflamáveis.
 
"Fizemos um primeiro combate que foi debelar as chamas e confiamos o fogo na área do depósito onde se iniciou o incêndio. Ainda estamos controlando a temperatura, que está muito quente e dificultando a entrada dos bombeiros. Estamos removendo a carga que restou, liberando espaços para ventilação. Removemos oito aparelhos dos 40 que havia lá dentro. Estamos juntando esforços para deixar o ambiente seguro e tirar a temperatura do local, que está muito quente e com muita fumaça", disse o tenente.
 
 
No total foram usadas cinco viaturas dos bombeiros. Três de combate a incêndios, uma ambulância e uma viatura de busca resgate de estruturas colapsais (BREC).