Fotografo: Cláudio Neves/APPA
...
Sem Legenda

As exportações brasileiras de milho registraram em outubro nova alta expressiva na comparação com igual período de 2018, segundo dados divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia, nesta sexta-feira, 1º.
 
O país embarcou 6,137 milhões de toneladas no mês passado, 97,6% acima do volume de 3,105 milhões de toneladas enviadas ao exterior em outubro de 2018. Em comparação com setembro de 2019, quando o Brasil exportou 6,501 milhões de toneladas, o volume foi 5,6% menor.
 
O resultado reflete, em parte, o grande volume de negócios envolvendo a segunda safra do cereal de 2018/2019, realizado com antecipação desde o ano passado. Os embarques também foram impulsionados pela valorização do dólar ante o real, que ajudou a dar suporte aos preços no Brasil e estimulou as vendas externas.
 
No acumulado do ano, o Brasil exportou 36,241 milhões de toneladas de milho, volume 130,4% superior aos 15,731 milhões de toneladas embarcadas nos dez primeiros meses de 2018. A receita obtida com as vendas em outubro chegou a US$ 1,022 bilhão, ante US$ 534,4 milhões em igual período do ano passado (alta de 91,3%). Em relação a setembro, quando o faturamento atingiu US$ 1,095 bilhão, a receita diminuiu 6,6%.
 
Entre janeiro e outubro deste ano, os embarques de milho geraram uma receita total de US$ 6,330 bilhões, montante 137% superior ao faturamento de US$ 2,670 bilhões obtido em igual intervalo de 2018.
 
O preço médio do cereal exportado, considerando-se 23 dias úteis do mês passado, foi de US$ 166,60 por tonelada, 3% menor do que os US$ 172,10 apurados em outubro de 2018 e 1,1% inferior aos US$ 168,50 verificados em setembro de 2019.