Fotografo: Reprodução
...
Vereadora Nildma Ribeiro (PCdoB)

O fechamento das escolas da zona rural do Iguá foi o assunto tratado pela vereadora Nildma Ribeiro (PCdoB), na sessão ordinária desta sexta-feira, 17, na Câmara Municipal. Segundo ela, foram fechadas as seguintes escolas:
 
-Escola Otávio Salgado (Povoado de Campo Formoso);
 
-José de Alencar (Povoado de Furadinho)
 
-Escola São Vicente de Paulo (Lagoa Formosa)
 
-Escola Assentamento Lagoa Nova (Assentamento Lagoa nova)
 
-Escola Casimiro de Abreu (Juazeiro)
 
-Escola Municipal Rancho Alegre (Povoado de Rancho Alegre)
 
Nildma lamentou a ação da prefeitura, que justificou o fechamento das unidades como uma forma de redução de gastos e questionou: “Terá transporte suficiente para esses alunos irem para o Iguá estudar? A escola do Iguá tem capacidade de receber todos esses alunos? Como fica a situação de superlotação das salas de aula?”, questionou e disse que está havendo um sucateando na educação da zona rural. “O povo do campo merece respeito”, clamou, lembrando que “em momento algum se discutiu isso com o povo”.
 
Desemprego
 
A vereadora apresentou um “raio x” prisional feito em 2018, em que se constatou mais de 680 mil presos em todo o país, com uma superlotação de 68,6%, tendo mais de 15 mil presos só na Bahia, com 27% de superlotação, e um índice de desemprego altíssimo no país todo. “São 13,4 milhões de desempregados, segundo o IBGE, e em 2018, o Brasil ocupou o 3º lugar no ranking mundial de pessoas presas, e ainda vem o prefeito e tira de forma truculenta os pais de família que querem trabalhar”, finalizou.