Fotografo: Tico Oliveira/Jornalimpacto
...
Trabalhadores da limpeza Pública expostos ao covid19, sem orientação da distância para evitar contagio com e sem fiscalização pelo comitê gestor

Muitas pessoas se assustaram ao chegar na Av. Lauro de Freitas e viu o terminal de ônibus desmanchado, teve pessoas que comentou: “Será que vai fazer um hospital?”. Na verdade isso seria justo neste momento de mortalidades no mundo infectado pelo vírus que desafiou a ciência religiosos de curas finaceiras e políticos no planeta terra, mas em Vitoria da Conquista a obra do prefeito  apresado sem mesmo ter os recursos do emprestimo DO PLANO FINISA (2) pelo legislativo municipal éna verdade, pensando nas promessas de campanha para se reeleger,,Segunda as cricas dos edis.Nada de hospital ,na Avenida Lauro de Freitas, as queixas de falta de organização e planejamento para tal feito que colocou o carro adiante dos bois pegou realmente todo mundo de surpresa, principalmente os usuários do transporte coletivo que está sofrendo com medo da praga e ao relento sem platicaveis para uma espera dos coletivos  nos diversos pontos de ônibus no centro da cidade, sem se quer ter uma placa indicativa e uma modalidade para os cadeirantes.. Mudou tudo mesmo.
O prefeito Herzem Gusmão disse no início da sua gestão que iria começar a obra do terminal de ônibus no primeiro ano, mas só agora depois de três anos e quatro meses, a sua gestão começa a obra sem mesmo ter feito a macro drenagem que havia prometido fazer, da praça da Bandeira, caindo no rio Verruga, descendo pela Travessa dos Artistas, até alcançar o canal que foi construído na década de setenta por Jadiel Matos. A obra se faz necessária para acabar com o volume de água que desce do Bairro Guarani, invadindo a praça e todo o terminal da Lauro de Freitas. 
Há denúncia dos edis, que nem mesmo o contrato tenha sido assinado, sem que o dinheiro do FINISA (2)I tenha sido liberado, Pela Caixa Economica Federal sem que os comerciantes do entorno tenham sido convocados para discutir a necessidade do projeto, do  prazo de execução e os problemas que a obra gerará para todo o comércio da zona central da cidade.
Causa estranheza o início da obra, de forma tão açodada, principalmente por causa da pandemia, que todas as obras do município deveriam ser paralisadas, afim de que os funcionários possam também permanecerem em isolamento em suas residências. O comitê de crise da corona vírus da gestão municipal e o prefeito devem estar ciente do artigo 268 das doenças contagiosas. Quem infringir a lei, fica tipificado na assinatura de crime abstrato, e quem ordenar um possível risco de contágio, responderá nos rigores da lei. Mas, como o prefeito Herzem Gusmão sempre em seus discursos diz que Deus está à frente da sua gestão, deve ter o aval da supremacia com certeza. Mesmo com os funcionários públicos desmascarados e se aglomerando, não se contaminaram, nem o pessoal do departamento de  limpeza publica  (foto de aglomeração e sem respeitar a distância e sem equipamento de prevenção da epidemia ) e os funcionários da construção civil, também estão imunes ào corona vírus.  Segundo Gusmão, a PJ Engenharia ganhou a licitação, no entanto, quem está executando a obra que neste momento se restringe à retirada dos abrigos, são os funcionários do município.  Se a PJ ganhou a licitação, ela ainda não foi convocada para assinar o contrato e nem sequer sabe quando assumirá a execução. Nenhuma empresa tocará uma obra, sem que tenha a certeza de que receberá pelo serviço prestado. 
Quando perguntado sobre isso pela reportagem do jornal impacto , o vereador Dudé que pulou a janela para o (MDB), Partido do Movimento Democrático Brasileiro, o edil só pediu para o povo se prevenir e ficar em casa e disse: “que falido se recupera, mas falecido não”. e DISSE QUE TEM MUITA GENTE OLHANDO PARA SEU PRÓPRIO UMBIGO, e se esquivou da pergunta sobre o feito da obra do terminal, que está sendo iniciada mesmo sob judice, com denuncia de licitação viciada na Av. Lauro de Freitas, e ele é líder do governo na câmara correu da responsabilidade de defender o que esta claro que não tem defesa nesse momento grave da saúde mudial.
“O gestor precisa esclarecer a população, qual é a sua relação com a PJ, vencedora da licitação, que não está à frente das obras do terminal de transbordo da Lauro de Freitas. Vale lembrar que uma empresa entrou na justiça por causa de erros existentes na licitação e o Ministério Público mandou suspender todo o processo licitatório". Essa foi a indagação através de um texto de mensagem no wats zap de um internauta ou jornal impacto.
O vereador Valdemir (PT) declarou ao jornalista Tico Oliveira que: “A realização dessa obra neste momento é um total desrespeito aos direitos e garantias do cidadão, visto que, os trabalhadores irão se expor ao risco da contaminação e colocar seus familiares também, ao risco do covid19 no período de pico da doença no Brasil e no mundo, o isolamento se transformando na vaidade da gestão que quer cumpri prazos para o período eleitoral não embargar a realização de obras públicas” declarou o vereador Valdemir Dias e completa “afirmo que o prefeito prega  o desrespeito da gestão para  com os municípes  e os  órgãos mundial defensores do isolamento e distanciamento como a (OMS) Organização Mundial da Saúde e do Ministério da Saúde do Governo Federal”. O ministro Mandetta afirma todos os dias e reafirma para ficar em casa, se protegendo do vírus que já ceifou vidas no mundo inteiro. E a desconexão é que a Secretaria de Saúde do município, através do secretário Alexsandro, também faz esse pedido para ficarem em casa, só liberando serviços essências como os que estão na linha de frente como policias a o pessoal da Saúde Pública e privada. “Qual é a essência neste momento de pandemia tem essa obra do terminal de ônibus da Lauro de Freitas”, perguntou, alfinetando o vereador Valdemir.
Já o vereador Rodrigo Moreira (PP) também declarou ao jornal impacto “Não estou entendo o que o prefeito Herzem está querendo, na verdade quando ele manda para a câmara uma medida de calamidade pública para ser votada, e no entanto no mesmo dia que a medida  chega na casa para ser analisada e votada ele começa uma obra com  anuncios no site oficial da preffeitura de um sonha que esta sendo realisado com diversos funcionários expostos ao risco da pandemia, sinceramente quero entender o que o prefeito Herzem está querendo mesmo”. Indagou
Já o presidente da casa do povo Luciano Gomes (PL) disse que essa obra já era esperada desde o primeiro ano da gestão, que já estava com seu projeto pronto na gestão anterior, inclusive com as verbas a disposição, só faltando a realização da licitação. “Acho que o prefeito tem uma boa assessoria e não vai dar trabalho para que a casa tenha que discutir uma obra que o complemento dos recursos foi aprovado pela casa do povo e que esta  em plena realização, na minha opinião nós já fizemos nossa parte votando os projetos de empréstimo para que a população tenha benfeitorias“ disse. E foi adiante: “No momento estou deliberando aqui na casa para termos sessões virtuais, o momento é de isolamento e distanciamento em todos os sentidos, já dei férias coletivas para os assessores e funcionários da câmara, para eles não ficarem expostos ao risco da morte, é disso que eu sou a favor e sou contrário de quebra de decreto de quarentena com hotéis abertos e parte do comercio também. A população precisa de representantes responsáveis pela saúde pública, isso o mundo está clamando neste momento terrível de pavor, o nosso município não tem condições alguma de enfrentamento dessa Epidemia, nós temos no total 80 respiradores e poucos leitos” alertou o presidente Luciano e finalizou. “O rico pode e vai de jatinho com UTI no ar para o encontro dos seus respiradores, e, os pobres trabalhadores da construção civil e outros serviços como os informais? Como nós representantes dos seus direitos vamos nos deparar com o avanço que está aí batendo na porta das ambulâncias e hospitais? Nós temos que tomar medidas duras e a câmara de vereadores vai se posicionar a esse respeito virtualmente. Nesta sexta ,( hoje ) tem a primeira sessão e já botei em pauta a medida provisória que o prefeito solicitou a votação da calamidade pública no município agora os vereadores desidem”. Se posicionou coerentemente Luciano Gomes.
O Corona vírus no mundo já matou mais de 50 mil e tem milhões de  infectados e centenas de mortos no Brasil até o momento  tem 299 mortos e mais de 7 mil infectados, subindo mais do que foguete a epidemia no pais, dirigido pelo presidente Bolsonaro que disse que era só uma ”gripezinha” e na Bahia foi registrada a terceira morte , e 15 mortes estão sendo investigadas. E a partir de hoje as recomendações dos órgãos de saúde é que todo mundo na rua use mascaras. Será que o prefeito Herzem já compro fora da lei da ética e responsabilidade  no momento de pandemia na  saúde vira um hospital no terminal do prefeito. apresado. Herzem em vídeo na internet disse que a obra não começou e que não vai usar o dinheiro da MP . Que a gestão enviou para a câmara votar em regime de urgência para ter o decreto de calamidade publica para o enfrentamento da crise da pandemia do  corona vírus, com o decreto a administração poderá gasta sem ter problemas de prestar contas de responsabilidade fiscal. Ele disse que a obra não começou não , que desculpas aos olhos da população não só começõu como já criou transtorno e o site da prefeitura anunciou desde de segunda feira e as rádios de apoio ao seu governo denunciadas de conchavos financeiros apadriamento disseram que a obra estava se iniciando nesta quarta feira primeiro de abril coincidentemente o dia da mentira.. O dinheiro do empréstimo do finisa (2) ainda não está liberado pela caixa econômica e a cidade esta em pleno transtorno com o terminal de ônibus da Lauro de Freitas interditado e ruas do centro comercial também, Na verdade o prefeito Herzem Gusmão colocou acima da crise da saúde e pandemia mundial, suas pretensões eleitorais. E poderá ter problemas com a aprovação do estado de calamidade pública. Que esta nas mãos dos vereadores e com o ministério publico por derespeitar a ordem de paralização da licitação. O governo de Herzem Gusmão demonstra incopetencia nas açoes não é de hoje e agora  com a falta de fiscalização dentro do governo a respeito dos equipamentos de proteção que não está levando a sério o risco de contaminação e o  que o mundo anuncia que apeste é capaz de distruir vidas e que esta por  vir de conforça..Por Tico Oliveira