Fotografo: Madson Maranhão/ Seagro-TO
...
Sem Legenda

O mercado físico do boi gordo apresentou poucas variações nesta quinta-feira, mas voltou a cair no Brasil. Segundo o analista de Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, os frigoríficos encontram maior dificuldade na compra de gado, natural frente a relutância dos pecuaristas em negociar nos preços vigentes.
 
“A capacidade de retenção segue positiva, avaliando a boa condição das pastagens neste momento. Uma eventual recuperação da demanda no decorrer de fevereiro pode contribuir para a retomada do movimento de alta, no entanto, os patamares alcançados dificilmente vão repetir os números do último mês de novembro”, disse. 
 
Em São Paulo, preços subiram para R$ 187 a arroba para pagamento à vista. Em Minas Gerais, preços de R$ 183 a arroba, em Uberaba, contra R$ 181 na quarta-feira. Em Mato Grosso do Sul, preços subiram de R$ 173 para R$ 175 a arroba, em Dourados. Em Goiás, o preço indicado subiu de R$ 180 para R$ 182 a arroba em Goiânia. Já em Mato Grosso o preço ficou em R$ 173 a arroba em Cuiabá. 
 
Atacado
O mercado atacadista volta a se deparar com acomodação dos preços. “É importante destacar que o escoamento da carne apresenta alguns sinais de avanço nessa semana, a reposição tende a ser ainda mais efetiva durante a primeira quinzena do mês, período pautado pela entrada dos salários, além do retorno às aulas como motivador da demanda”, finalizou. 
 
Corte traseiro segue precificado a R$ 13,05, por quilo. Corte dianteiro ainda é cotado a R$ 10,40, por quilo. Ponta de agulha permanece cotada a R$ 9,70, por quilo.