Fotografo: Reprodução/ TV Globo
...
Sem Legenda

 
 
 
Execução é a hipótese inicial investigada pela Polícia Civil para tentar explicar o assassinato a tiros do ex-deputado estadual e atual secretário de Transportes de Osasco, Osvaldo Verginio, de 55 anos, na madrugada desta quinta-feira (20), na cidade onde trabalhava, na Grande São Paulo.
 
Também foi montada uma força-tarefa policial para tentar esclarecer os motivos do crime e sua autoria. O caso ocorreu na Rua Heitor dos Prazeres, no bairro Novo Osasco.
 
“Informações preliminares apontam execução”, disse o delegado Igor Guedes de Oliveira, porta-voz da polícia sobre as investigações do caso. “Foi montada uma força-tarefa para dar resposta à sociedade desse crime”.
 
A hipótese de crime patrimonial foi descartada pelos policiais, já que os dois homens não identificados que participaram do ataque não anunciaram nenhum roubo e também não levaram nada das vítimas. Elas voltavam de uma confraternização.
 
Os criminosos que estavam num carro Volkswagen Saveiro branco atiraram 11 vezes contra o veículo Toyota Corolla preto onde estava o político, seu motorista particular e a mulher do funcionário.
 
Seis tiros atingiram Verginio, que morreu, e ao menos dois feriram a esposa do motorista, que sobreviveu. O funcionário não se feriu.