Fotografo: Divulgação
...
Sem Legenda

Os policiais civis e penais decidiram, na manhã desta quarta-feira (19), atuar no Carnaval de Salvador em “operação padrão”, mas sem identificação por fardas, apenas por distintivos. “Nos circuitos não faremos abordagens. Foi definido ainda a realização de assembleias itinerantes por todo interior, se necessário for, faremos a entrega das chefias e horas extras, caso o governo não retome o diálogo com o sindicato”, afirmou Eustácio Lopes, presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Estado da Bahia (Sindpoc).
 
Durante assembleia no auditório da Faculdade Visconde de Cairu, nos Barris, a categoria vai realizar um ato no sábado (22), com concentração no Farol da Barra, às 14 horas, até o Cristo. E na segunda-feira (24), participar da Mudança do Garcia, com concentração às 9 horas.
 
Além disso, eles definiram que não vão fazer operações em parceria com a Polícia Militar e aplicar o que rege a Cartilha de Abuso de Autoridade. Também intensificarão a Operação Legalidade – devolver todos os EPIs vencidos (coletes balísticos e munição vencidas) e uso da força progressiva caso o governo do Estado não abra mesa de diálogo com a categoria.