Fotografo: Arquivo/ BNews
...
Sem Legenda

e saída da presidência do PT na Bahia - eleito no último congresso estadual, Éden Valadares assume a cadeira - Everaldo Anunciação pode ocupar um cargo na direção nacional da sigla. A definição sobre o tema acontecerá na próxima semana, entre os dias 22 e 24 de novembro, quando petistas se reunirão no Congresso Nacional do partido para escolher os componentes do novo diretório da legenda.
 
Ao blog de Salvador, Everaldo afirmou que há uma demanda da corrente da qual faz parte, a Construindo um Novo Brasil (CNB), para que ele aceite integrar a chapa a ser formada pelo grupo e concorra a um posto na direção. A tendência é a mesma da atual presidente da legenda, deputada federal Gleisi Hoffmann (PR), que deve ser lançada à reeleição. Internamente, acredita-se que ela será reeleita. Ainda não se sabe qual cargo Everaldo assumiria. 
 
“Estou aberto a fazer este debate [sobre assumir um cargo no diretório nacional] na semana que vem. Estamos construindo uma chapa com representações do Nordeste e há uma indicação da corrente de que eu assuma um cargo”, explicou o dirigente estadual petista. 
 
Everaldo disse, no entanto, que não aceitaria participar da Executiva Nacional porque quer manter sua militância partidária na Bahia, principalmente pelo fato de que, em 2020, acontecerão as eleições municipais. “Quem vai para a Executiva tem uma exigência mais presente em Brasília e São Paulo”, relatou. A direção de uma sigla é eleita em convenção, com prazo determinado de vigência. Já a executiva é uma espécie de extrato, menor, deste grupo, responsável por atividades do dia a dia da vida partidária.