Fotografo: Lucas Soares
...
Produção de café arábica caiu quase 30% neste ano, na comparação com 2018

A produção de café do Brasil em 2019 deve totalizar 48,99 milhões de sacas beneficiadas, estimou nesta terça-feira (17) a estatal Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o que representaria queda de mais de 20% ante o ano anterior, em meio a um ano de bienalidade negativa do tipo arábica.
A produção de café arábica foi projetada em 34,47 milhões de sacas, recuo de 27,4% na comparação anual, enquanto a de robusta deve somar 14,52 milhões de sacas, alta de 2,5% frente ao ano anterior.
"Os baixos números da safra tiveram reflexo inclusive nas exportações brasileiras, que também retraíram. Em agosto, atingiram cerca de 3,2 milhões de sacas de 60 kg, o que representa redução de 9,5% em relação ao mesmo período no ano passado", afirmou a Conab em comunicado.
A safra foi "influenciada pela bienalidade negativa e afetada pelas más condições climáticas", avaliou a Conab, destacando que o clima atingiu de forma mais intensa o arábica, com altas temperaturas nos cafezais e falta de chuvas no ciclo vegetativo, período importante de desenvolvimento da cultura.
Já a área de produção deve cair 2,8% na comparação anual, para 1,8 milhão de hectares, segundo a Conab, em seu terceiro levantamento sobre a safra de café deste ano.
"O estudo atribui este fato também à bienalidade negativa, já que os produtores aproveitam este período para realizar tratos culturais nas lavouras e, desta forma, reduzem a área em produção", explicou.
Em Minas Gerais, principal estado produtor, a safra será de 24,52 milhões de sacas, com redução de 26,5% na comparação anual, ainda segundo o relatório da Conab.
 
CONAB