Fotografo: Ansa
...
Francisco cumprimenta o papa emérito Bento XVI no Vaticano

Em meio às divisões na Igreja Católica por conta do pontificado progressista de Francisco, Bento XVI saiu em defesa de seu sucessor e afirmou que "só existe um Papa".
 
Recluso desde sua renúncia, em 2013, Joseph Ratzinger costuma ser exaltado pelas alas conservadoras do clero que se opõem a Jorge Bergoglio, especialmente em função de suas aberturas a gays e divorciados e agora pela discussão sobre a possibilidade de se aceitar homens casados como padres em áreas remotas.
 
"A unidade da Igreja sempre esteve em perigo, é assim há séculos. Foi assim durante toda a sua história. Guerras, conflitos internos, ameaças de cismas. Mas, no fim, sempre prevaleceu a consciência de que a Igreja deve permanecer unida", disse Bento XVI ao Corriere della Sera. "O Papa é só um: Francisco", acrescentou.
 
A entrevista completa do papa emérito deve ser publicada na próxima edição do suplemento semanal do jornal italiano. Na última quinta (27), o cardeal alemão ultraconservador Walter Brandmuller divulgou um comunicado no qual chama de "herético" o instrumento de trabalho do Sínodo dos Bispos sobre a Amazônia.
 
O evento acontecerá em outubro, no Vaticano, e discutirá a possibilidade de se ordenar homens casados como padres para potencializar a evangelização em áreas remotas, como a Floresta Amazônica.
 
Antes disso, outro cardeal, o americano Raymond Burke, já havia insinuado que o Papa é "herege" por defender a comunhão de divorciados.