Fotografo: Divulgação / DPU
...
Sem Legenda

Cinco trabalhadores foram resgatados em condições análogas à escravidão, nesta terça-feira (15), em uma fazenda de Ilhéus. Eles atuavam na cadeia de produção de chocolate e foram flagrados por uma força-tarefa formada pela Defensoria Publica da União (DPU) na Bahia, Ministério Público do Trabalho (MPT-BA), auditores-fiscais do trabalho, Polícia Federal e Secretaria de Justiça do Estado da Bahia.

 

As pessoas trabalhavam há anos na fazenda em um sistema de parceria rural fraudulenta que induzia os trabalhadores ao endividamento e a servidão e não recebiam pagamento algum há meses. 

 

Os trabalhadores estavam em alojamentos em condições precárias, pois não possuem água encanada, instalações sanitárias e encontram-se em péssimo estado de conservação, com paredes rachadas e, em alguns casos, risco de desmoronamento. As instalações ofereciam risco de choque elétrico e curto-circuito.

 

A fonte utilizada para beber água está exposta à sujeira e aos animais, sendo a água utilizada para cozinhar e para atividades diárias de higiene pessoal proveniente da mesma fonte utilizada pelos animais. 

 

Após o resgate, os trabalhadores foram atendidos pelo sistema de Assistência Social do município de Ilhéus e receberão assistência jurídica aos resgatados da Defensoria Pública da União.

 

O empregador deverá ser responsabilizado pelas infrações e será exigido o pagamento das verbas rescisórias. Ele ainda deverá ser intimado pelo Ministério Público do Trabalho (MPT). A força-tarefa estará na região até sexta-feira (18).