Fotografo: Reprodução
...
Sem Legenda

Quase 6 meses se passaram, a Viação Cidade Verde assumiu o transporte coletivo de Vitória da Conquista, e até hoje nada foi feito para melhorar o serviço na cidade. 
 
Várias são as reclamações dos usuários de transporte, que vão dos já famosos atrasos ao valor da passagem.
 
Logo após a saída da Viação Vitória o prefeito Herzem Gusmão deu a seguinte declaração no site da prefeitura, "Nós recebemos o transporte em uma situação gravíssima, mas já resolvemos o problema e a cidade já sente a normalização do transporte." 
 
Mas será que já está mesmo normalizado? Para tirar as dúvidas fomos conversar com quem utiliza o transporte. Dona Diva de Oliveira mora no bairro Guarani, e diz que é como se não houvesse ônibus lá, "No Guarani só tem um ônibus rodando, não dá pra esperar porque só passa de uma em uma hora, então eu desço à pé, ou eu pego aquelas lotações de carro de passeio." Diz.
 
Geisla Silva é cadeirante, moradora do Bairro Vila Bonita, que convive diariamente com o descaso com  a questão da acessibilidade, "Na maioria das vezes o elevador está quebrado, além do número reduzido de ônibus. No meu bairro rodam 2 ônibus, mas à noite e nos finais de semana é apenas um. Sinceramente eu gostaria de não depender de ônibus." Declara a jovem.
 
A integração  é outro caso que sempre foi um motivo pra confusão, "Esse negócio de integração. Pra quê que inventaram isso, se não integram? Não tem santo que faça integrar. Principalmente nos finais de semana." Diz a passageira Marizete do Nascimento, moradora do bairro Nova Cidade, que proveita para dá sua sugestão, "Eu queria que o dono da empresa ou quem comanda, para vir aqui no terminal no horário de pico, e eles se tornassem  usuários pra eles vêem e sentir na pele o que é  ser usuário de ônibus em Conquista". Desabafa a dona de casa."
 
Moradora do bairro Cidade Modelo, Nólia Síndia, reclama que o bairro só conta com um ônibus rodando na linha, e se preocupa com a filha de 12 anos, que sai da escola e fica quase uma hora no ponto, esperando o ônibus pra voltar pra casa. "Gostaria que colocassem mais ônibus no bairro". Solicita a passageira.
 
Como se não bastasse todos esses problemas, há até baratas no ônibus pelo menos foi o que relatou o estudante Mateus Silva Novais, "Eu estava no fundo do ônibus quando vi as baratas, aí fui pra frente, foi no ônibus R 16."
Diante de tantas reclamações, parecem que os problemas com o transporte coletivo da terceira maior cidade do Estado da Bahia continuam os mesmos de seis meses atrás.
 
Estudante Mateus Silva