Fotografo: Divulgação
...
Sem Legenda

O professor Genivan Neri, representando os professores da rede estadual, usou a tribuna livre na sessão ordinária desta quarta-feira, 19, para explicar a situação da categoria com a aprovação da PEC da Previdência Estadual. “Nós professores estamos chamando a atenção para a campanha salarial dos professores e a forma que o governador Rui Costa escolheu para resolver os problemas da nossa categoria”.
 
Segundo ele, o governo mandou a PEC, “após idas e vindas, conseguiu aprovar, na calada da noite, essa proposta que atrapalha a vida dos professores”. Ele completou dizendo que é preciso sim, ajustes na Previdência Social, “mas não da forma que estão sendo feitos”, lamentou, explicando que o projeto tem vários erros e está passivo de contestações jurídicas. “Um exemplo é a questão da retirada de conquistas de uma vida inteira”, afirmou acrescentando que “nem os deputados que votaram sabiam o teor da PEC, porque votaram um pacote fechado”.
 
O professor explicou que o governador acabou com a carreira do professor. “Há mais de 20 anos a categoria é dividida em níveis horizontais e graus verticais. Especialistas, mestrados e doutorados que recebem por titulação e o que ele fez foi quebrar a carreira ao meio e deu aumento a uma parte da categoria e a outra não”. Finalizou afirmando que a categoria não aceita isso e já fez assembleia, dialogou e no dia 4 fará uma nova assembleia. “Aprovamos indicativo de greve e saibam que quem chamou para a greve foi o próprio governador, que deu aumento a uma parte e a outra não”.