Fundado pelo jornalista Tico de Oliveira em 12 de junho de 1987 - E-mail: jornalimpactoconquista@gmail.com

Cidadão Repórter

77 98839-2585
Vitória Da Conquista(BA), Terça-Feira, 30 de Novembro de 2021 - 18:55
14/11/2021 as 03:03 | Por CenárioAgro |
Variedade de mandioca recupera polo produtor na Bahia
BRS Formosa, desenvolvida pela Embrapa, é resistente à bacteriose, doença responsável por grande perda da produção da raiz
Fotografo: Divulgação
Sem Legenda

Uma variedade de mandioca desenvolvida pela Embrapa Mandioca e Fruticultura em parceria com a Embrapa Cerrado, a extinta Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola (EBDA) e agricultores locais, não só evitou que a produção da raiz fosse erradicada na mesorregião do Centro-Sul da Bahia, como também foi responsável por um incremento de produtividade significativo, da ordem de R$ 2,7 milhões por hectare. “A BRS Formosa foi adotada como a principal variedade em 18 municípios baianos, sendo os mais importantes – Guanambi, Caetité e Palmas de Monte Alto. Por conta disso, foram criados 1.100 postos de trabalho diretos no campo”, conta Clóvis Almeida, pesquisador da Embrapa.
O estudo, que teve início em 1997 e durou cerca de cinco anos, foi realizado em função de uma demanda dos produtores locais, que perdiam de 10% a 100% de suas produções. Foram testadas de 4 mil a 5 mil variedades, ao todo. “Inicialmente, acreditava-se que a seca seria a causadora da perda. A pesquisa mostrou, no entanto, que a bacteriose era o problema”, explica Almeida. “Para se ter uma ideia da gravidade da situação, o Banco do Brasil chegou a suspender o financiamento para o custeio das lavouras de mandioca na microrregião de Guanambi”, completa.
A BRS Formosa além de ser resistente à bacteriose, é tolerante à seca, produz uma farinha de qualidade superior às existentes no mercado, possui ciclo mais curto e produz cerca de 57% a mais do que outras variedades. “Em 2009, em boas condições climáticas, foram colhidas 19,7 toneladas de mandioca por hectare”, informa Almeida.
“As mudanças observadas nessa região ao longo desses anos foram muitas. Houve uma redução na capacidade ociosa das casas de farinha e, consequentemente, um aumento na geração de empregos. Há maior segurança por parte dos produtores em relação ao produto e por conta desta resistência à bacteriose, observou-se também redução no uso de agroquímicos”, diz.
Com a adoção da BRS Formosa, os produtores puderam retomar o crédito agrícola, ferramenta essencial para a atividade. A mandioca está entre as três culturas mais importantes para a região em relação à área plantada e ao valor de produção.




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil