Fotografo: Henrique Brinco/BNews
...
Sem Legenda

O vereador de Vitória da Conquista, David Salomão (PRTB) manifestou descontentamento com uma nota oficial emitida pela Câmara Municipal, anunciando que o Legislativo local não participaria da inauguração do Aeroporto Glauber Rocha.
 
O evento realizado na manhã desta terça-feira (23) contou com a presença do presidente Jair Bolsonaro (PSL), e foi marcada pela ausência do governador do Estado Rui Costa (PT). 
 
"Quem começou com essa birra, essa guerra político-partidária pequena - que não interessa ao povo de Conquista - foi o próprio governador quando autorizou a retirada do policiamento", avaliou David Salomão, após o evento. 
 
O Edil acredita que Rui deve entender que a Polícia Militar são auxiliares do exército brasileiro, e que ter delegado que o comando da organização não comparecesse foi "um ato de insanidade". Junto com a polícia rodoviária federal, o Exército proveu a segurança do perímetro do aeroporto ao longo desta manhã. 
 
"Hoje me surpreendi também com a palavra do presidente da Câmara [o vereador Luciano Gomes (PR), dizendo que a Câmara não estaria presente. Ora, o presidente da Câmara fala pelo seu mandato. Não sou empregado do governador, nem dele. Sou empregado do povo de Vitória da Conquista", reclamou.
 
Salomão acrescenta que compareceu ao evento com o objetivo de recepcionar o presidente Jair Bolsonaro em nome da população da cidade, e avaliou que Conquista carece de mais investimentos. 
 
O parlamentar se queixou de que o governo estadual age como se "só existe Salvador, Feira de Santana", salientou que apesar de estar na divisa com minas gerais, Vitória da conquista faz parte do território baiano. 
 
"Precisamos resolver o problema da água e o problema da violência, que coloca Vitória da Conquista no mapa do sangue - entre as 50 cidades mais violentas do mundo. Não é hora do governador ou presidente de Câmara estar em guerra política", avalia. 
 
Ele avaliou que quase 100% dos recursos empregados na obra são de origem federal e que o verdadeiro "dono" da obra é o "povo de Vitória da Conquista" e os baianos, que na sua avaliação, poderão viajar por preços mais acessíveis a partir da inauguração de hoje.