Fundado pelo jornalista Tico de Oliveira em 12 de junho de 1987 - E-mail: jornalimpactoconquista@gmail.com

Cidadão Repórter

77 98839-2585
Vitória Da Conquista(BA), Sábado, 17 de Abril de 2021 - 01:24
31/03/2021 as 20:05 | Por CamaraVC | 357
Xandó destaca importância da defesa dos direitos humanos
Segundo Xandó, a Polícia Militar e os direitos humanos no Brasil continuam sendo tabu na sociedade
Fotografo: Divulgação
Sem Legenda

O vereador Alexandre Xandó (PT) destacou a importância da defesa dos direitos humanos e o episódio envolvendo a morte do policial militar Wesley Soares Góes, de 38 anos. O discurso de Xandó aconteceu de forma virtual, durante a Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Vitória da Conquista, realizada nesta quarta-feira (31).
 
Segundo Xandó, a Polícia Militar e os direitos humanos no Brasil continuam sendo tabu na sociedade. Ele afirmou que viu e sentiu na pele o preconceito contra os defensores dos direitos humanos, principalmente por parte dos policiais. Lembrou, porém, dos policiais que, cotidianamente, têm os direitos humanos violados pela própria instituição policial.
 
O vereador destacou o caso do policial militar Wesley Soares Góes, que morreu após receber disparos de outros policiais após tensas negociações, mas também falou de outro caso envolvendo a Polícia Militar da Bahia. Na última sexta-feira (26), um menino de nove anos, identificado como Ryan Andrew, morreu após ser baleado no Vale das Pedrinhas, também em Salvador, após troca de tiro entre policiais e um grupo armado.
 
“Estão querendo se aproveitar daquele momento para politizar e dizer que foi uma ação contra a política do Governo do Estado, contra o lockdown, etc.” afirmou Xandó, acrescentando: “O problema é muito mais profundo. É preciso compreender que policiais carregam traumas por participar de diversas ações que machucam as pessoas cotidianamente”.
 
O vereador ainda questionou as ações cotidianas das corporações policiais: “O que sente um policial ao ter que desocupar barracos de famílias sem teto, que não têm onde morar. São questões como essa que machucam os policiais e forjam a sua saúde mental. Muitas vezes, antes do SAMU chegar, quem chega é a polícia”, disse.
Ao finalizar, Xandó reforçou que é preciso cuidar da saúde mental dos policiais, mas é preciso também reformar a estrutura das forças policiais do Brasil.




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil